Ellodigital

blog article

Empreendedorismo Feminino

Aqui na TUDO, o empreendedorismo feminino chegou e ficou! Nestes 7 anos a agência foi gerida por mulheres, a Maysa Melo e a Karine Tolentino. Passamos por várias fases: MEI, micro e pequeno negócio. Estamos o tempo todo buscando nosso espaço no mercado goiano, e a cada dia, crescendo um pouquinho. Mas não pense que é fácil ser empreendedor no Brasil, ainda mais uma mulher empreendedora. Diante isso, vamos te mostrar um pouco do contexto atual das mulheres empreendedoras.

  • Hoje, 9,3 milhões mulheres estão à frente de um negócio no país, representando mais de 35% do número total de empreendedores no Brasil.
  • Isso se reflete nos dados apresentados pelo Governo Federal, onde 3 em cada 4 lares são chefiados por mulheres e, deste número, 41% já tem o próprio negócio. Elesgeralmente, são voltados para varejo e serviços.
  • As mulheres donas de negócio são mais jovens do que os homens. Elas têm 43,8 anos, contra 45,3 anos no caso do sexo masculino.
  • As donas de negócio têm maior escolaridade (16% maior), mas ganham, em média, 22% a menos que os homens na mesma posição.
  • As mulheres empresárias tomam menos empréstimo e com valor médio igualmente menor. O valor médio do empréstimo para mulheres é em média R$ 13.071 menor que o dos homens.
  • A taxa de inadimplência das mulheres é inferior à registrada por homens, 3,7% para mulheres contra 4,2% para os empresários. Mas mesmo assim pagam taxas de juros maiores. A taxa anual para empresárias é 3,5 % acima dos donos de pequenos negócios.

O empreendedorismo feminino é importante para nossa sociedade não apenas em seu contexto social com empoderamento da mulher, mas também em seu cunho econômico. Mesmo com todo o cenário positivo de crescimento, ainda notamos que existem diversos avanços a serem feitos e desafios a serem quebrados:

1 - Preconceito

Primeiro ponto é a discriminação no ambiente de trabalho e a diferença de oportunidades em relação aos homens. Porém, essa questão é algo que já vem sendo discutida ao longo dos anos e podemos enxergar mudanças consideráveis.

2 - Dupla jornada

Além do preconceito, nós mulheres precisamos conciliar todas nossas responsabilidades da vida pessoal com a profissional. Muitas empreendedoras são conscientes do seu papel econômico, mas uma faixa considerável ainda é responsável pela administração da casa e educação dos filhos – como é o meu caso, por exemplo.

3 - Cultural

Culturalmente no Brasil, as mulheres são ‘relegadas’ a alguns segmentos. Sendo que são aptas as estarem em qualquer segmento empreendedor. Como robótica e criatividade, por exemplo.

Para que o empreendedorismo feminino siga crescendo, é importante nos lembrarmos e conhecermos a história de mulheres que fizeram sucesso no mundo dos negócios. Uma delas é a Heloisa Helena Assis (Zica Assis). Talvez você já tenha ouvido falar dela. Heloisa Helena é dona do Instituto Beleza Natural, reconhecido em diversos lugares do mundo por sua ideia de manter a beleza natural dos fios. Mas ela não começou assim. Na verdade, ela era empregada doméstica e decidiu fazer um curso de cabeleireira ainda jovem para aprender a domar os próprios cachos. Após diversas tentativas frustradas (que culminaram na queda do próprio cabelo, usado como cobaia para seus experimentos), Heloisa encontrou uma fórmula para manter a beleza natural dos fios crespos e tirar o volume.

Em 1993, com o dinheiro da venda de um Fusca, ela fundou o próprio salão de beleza no quintal de casa.

Os anos que se seguiram foram de muito trabalho. Hoje são mais de 25 institutos de beleza, com mais de 50 cremes de tratamento para ajudar mulheres a viverem seus dias com mais autoestima e cachos soltos.

Outro grande nome é Ana Paula Padrão é reconhecida por sua participação no jornalismo e na TV em geral (ela atualmente é a apresentadora do sucesso MasterChef), e tem uma iniciativa incrível de incentivo ao empreendedorismo feminino: o Escola de Você.

Através dessa plataforma, com aulas em vídeo, ela incentiva o empoderamento feminino, dá dicas sobre empreendedorismo e crescimento pessoal e fala muito sobre a importância de tratarmos de assuntos relacionados a esse universo.

Em suas redes sociais, aproveitando sua visibilidade, ela também sempre trata de assuntos relevantes como protagonismo feminino, sororidade e dá dicas e incentivos a mulheres que querem fazer a diferença no mercado de trabalho e no mundo dos negócios.  

Escrito por: Karine Tolentino