Ellodigital

blog article

O que você precisa saber sobre Snapchat

Desde que o Snapchat lançou seus primeiros anúncios em outubro de 2014, o aplicativo vem transformando o mobile marketing. Só no ano passado, o Snapchat lançou sua plataforma Discover, publicidade 3V e as lentes patrocinadas, oferecendo novas formas das marcas atingirem sua base formada principalmente de millennials, com mais de 100 milhões de usuários por dia.

Como o Snapchat continua fazendo com os formatos de anúncios, parece haver dois princípios fundamentais na abordagem da plataforma à publicidade:

1. O compromisso do Snapchat em ser compatível com tipos exclusivos de conteúdo, como vídeos verticais, especificamente criados para serem visualizados em smartphones e desaparecerem após 24 horas.

2. Os valores de seu cofundador de 25 anos, Evan Spiegel, que na verdade se opõe à maioria dos tipos de publicidade online e que tem o compromisso de criar anúncios editoriais e não invasivos. Espera-se que essas qualidades continuem levando à frente os esforços de publicidade do Snapchat no ano que se segue. Na verdade, já estamos vendo novidades de importantes evoluções, com conversas de parceria com o Spotify e cobertura das eleições presidenciais norte-americanas.

Aqui está o que os profissionais de marketing precisam saber para se manterem no topo da disputa publicitária do Snapchat em 2016.

 

Construir uma API

Segundo o Digiday, o Snapchat é a última grande rede social a discutir a oferta de uma API (application programming interface), após o lançamento da API do Instagram no ano passado. Com essa evolução, as marcas poderão criar suas próprias campanhas no Snapchat em vez de ter que entrar em contato com representantes da plataforma. A API também poderia oferecer novas opções de formato de anúncios e definição de públicos-alvo.

Como observa o Digiday, ainda pode levar vários meses até que esse novo recurso seja lançado, mas assim que isso acontecer espera-se que o espaço publicitário do Snapchat fique muito mais movimentado rapidamente.

Preços mais acessíveis

Os anunciantes nem sempre estiveram felizes com o modelo de precificação do Snapchat. No começo de 2015, o Snapchat começou pedindo às marcas mais de $ 750.000 dólares por dia pelos anúncios exibidos nos feeds dos usuários. O preço não apenas era muito superior ao dos anúncios das demais redes sociais, como o Snapchat também não oferecia opções avançadas de definição de públicos-alvo ou dados analíticos comparáveis (recursos que Spiegel disse ser contra).

Felizmente, para os profissionais de marketing, desde então o Snapchat não somente baixou seus preços, em resposta ao feedback, como também lançou novos formatos de anúncios mais acessíveis. Em maio de 2015, por exemplo, as marcas podiam adquirir anúncios em vídeos de 10 segundos a dois centavos por visualização. Esses anúncios são executados localmente entre os vídeos e artigos na plataforma Discover do Snapchat.

No próximo ano, os profissionais de marketing não devem ficar surpresos ao verem novos modelos de precificação que atraiam negócios com budget reduzido para experimentarem a mídia paga no Snapchat.

 

Criar conteúdo original com as marcas

Em janeiro de 2015, o Snapchat começou a criar conteúdo original para seus próprios “snapcanais” ao lançar o Discover. Ele até estreou sua própria websérie, “Literally Can’t Even“ (Eu literalmente não posso) e contratou um diretor de conteúdo original. No entanto, meses depois, a equipe de conteúdo interno foi descartada e o Snapchat voltou para a mesa de desenho.

Agora, o app voltou a olhar para isso e no final de 2015, lançou um novo canal musical no Discover. Patrocinado pelo Spotify, o canal apresenta recursos de vídeos e artigos originais produzidos por uma equipe interna de conteúdo. Por exemplo, a ex-escritora da equipe da Billboard, Megan Buerger, escreveu um artigo intitulado “The Year of Jack Ü” (O ano de Jack Ü) destacando como Skrillex e Diplo estão conquistando o espaço da música eletrônica.

Mais opções de definição de públicos-alvo

Embora Spiegel costumasse dizer que definir o público-alvo era algo “assustador“, parece que ele tem voltado atrás nesta afirmação e vem oferecendo aos profissionais de marketing opções para escolher seus públicos desejados.

Segundo o Business Insider, os anunciantes do Snapchat agora podem focar no público-alvo com base em gênero, idade, dispositivo, local, eventos ao vivo e contexto (anunciando com um determinado editor no Discover).

Conforme observado pelo Digiday, as marcas também podem comprar “pacotes de público” no Discover. Esses pacotes permitem que as marcas exibam seus anúncios em diversas publicações de acordo com determinados temas, como notícias do mundo e entretenimento.

Snapchatting em 2016

O programa de anúncios do Snapchat pode ainda dar seus primeiros passos, mas vem crescendo rapidamente, e Spiegel vem trabalhando duro para diferenciá-lo dos concorrentes. Novos recursos publicitários, como vídeos verticais que tomam a tela toda, vêm atraindo os usuários de dispositivos móveis e, logo, devem intrigar as marcas também.

Se 2015 foi um indicativo do quanto o Snapchat pretende revolucionar o espaço da publicidade móvel, 2016 será ainda mais cheio de surpresas. Desde o lançamento de um potencial API e melhores opções de preços até as novas iniciativas de conteúdo que talvez nós ainda nem conheçamos, as marcas poderão escolher como irão usar o aplicativo exclusivo para dispositivos móveis que alcança os millennials.

 

Fonte: Sprinkler